gototop
FacebookTwitter

Ascom Criança

justica restaurativa texto

A Secretaria de Politicas para Crianças, Adolescentes e Juventude promove, nos dias 01 e 02 de março o Iº Encontro Sobre Justiça Restaurativa e Educação - um diálogo sobre socieducação para promover o debate sobre a Justiça Restaurativa, seus fundamentos teóricos e políticos e suas práticas pedagógicas.
A realização do evento pela Secriança e Universidade de Brasilia (UNB), com o apoio da Escola Nacional de Socioeducação – ENS/Ceag/ Programa de Pós-Graduação da Faculdade de Educação da Universidade de Brasília – PPGE/FE/UNB, do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo – Sinase, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) e da Associação Brasileira dos Magistrados da Infância e da Juventude (Abraminj) é fundamental sob a ótica do dialogo socioeducativo, e da justiça restaurativa.

“O programa de justiça restaurativa está sendo bem aceito pelos operadores do sistema, e eu percebo que essa função promove um diferencial no Sistema Socioeducativo, porque estamos cada vez mais formando pessoas que têm consciência do diálogo”, destaca o Subsecretario do Sistema SocioEducativo Paulo Henrique Távora.

O encontro acontecerá nos dias 01 e 02 de março na Universidade de Brasília, no auditório Joaquim Nabuco – Faculdade de Direito FD/UnB, atendendo servidores atuantes no Sistema Socioeducativo do DF, estudantes, professores ou profissionais da Universidade de Brasília e outros que se interessem pelo tema.

O encontro tem por objetivo promover e contribuir com a formação prática e teórica dos operadores do Sinase no DF, assim como a comunidade acadêmica e interessados na temática.

INSCRIÇÕES COM VAGAS LIMITADAS

A ação contará com a presença dos palestrantes: Prof. Dra. Susan Sharp (Notre Dame/Chicago/USA), Prof. Dr. João Salm (GSU/Chicago/USA), Doutoranda Natália Neves (UFMG), Dra. Raquel Tiveron (MPDFT/UNICEUB), Profa. Dra. Tatiana Ykoy (FE/UnB), Prof Dr. Antônio Escrivão Filho (IESB/UnB/Terra de Direitos), Dr. Alexandre Onzi Pacheco (Fase/RS).Mais informações clique aqui.

 

Selecionados devem se matricular nos dias 19 e 20 de fevereiro

LOGO-PROFISSIONALIZANTE

 

A Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude (Secriança) divulga a lista dos aprovados em Primeira Chamada para os cursos do #BoraVencer Profissionalizante. Os selecionados devem se matricular entre os dias 19 e 20 de fevereiro, diretamente na unidade onde irá estudar, entre 9h e 21h, portando cópias do RG, CPF, comprovante de residência e 1 foto 3x4.

 VEJA A LISTA

Nesta edição a Secriança abriu 4.000 novas vagas. O inicio das aulas será dia  26 de fevereiro de 2018, com 4h/dia nos turnos matutino, vespertino e noturno.

Os alunos recebem uniforme, apostilas, cadernos e canetas para utilização durante o curso.

Dúvidas e informações pelos telefones 3213/0666 ou 3223/1216

#BORAVENCER – Atendendo a uma demanda eleita na Conferência Distrital de Juventude de 2015, que pedia por oportunidades de estudo para o vestibular e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a Secretaria da Criança, Adolescentes e Juventude promove o #BoraVencer desde o primeiro semestre de 2016.Entre 2016 e 2017, cerca de 4 mil jovens foram capacitados nos cursos do #BoraVencer Profissionalizante.


A Diretoria de Saúde Mental (Disam) da Subsecretaria do Sistema Socioeducativo (Subsis) realiza nova etapa da pesquisa sobre saúde mental do servidor que atua no Sistema. Esta é a segunda edição da pesquisa que visa coletar dados de forma mais concreta sobre o tema.

A pesquisa serve como um norteador para a Diretoria de Saúde Mental e parceiros no que tange as ações no cuidado à saúde do servidor. A partir dos dados coletados, de forma concreta, a Disam propõe estratégias de como atuar na saúde mental do servidor do socioeducativo.

O formulário é simples e não é preciso se identificar e leva poucos minutos para respondê-lo. Os servidores têm até o dia 15 de março para acessar o link e enviar as respostas.

Em caso de dúvidas, a Disam atende pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ou pelo telefone 3213-0662.

O Ministério Público do Trabalho (MPT), em parceria com a Associação de Ex-Conselheiros e Conselheiros da Infância (AECCI), reforça a campanha #Chegadetrabalhoinfantil no período de Carnaval, com o slogan "Trabalho Infantil Não é Folia". O objetivo é alertar os foliões, blocos e a sociedade em geral para a situação de crianças e adolescentes que trabalham invisíveis e desprotegidas no cenário de fantasias, alegria e confetes, com seus direitos fundamentais violados.

A campanha tem abrangência nacional e as peças ficam disponíveis para download nos site do MPT (http://www.prt2.mpt.mp.br/) para ser utilizadas por quaisquer órgãos, instituições ou pessoas interessadas em divulgar, apoiar e/ou replicar nos seus Estados e Municípios. Além das peças disponíveis para impressão, a divulgação ocorre através das redes sociais, com o apoio de blocos, entidades, organizações e público em geral, através do compartilhamento de informações sobre trabalho infantil, orientações sobre denúncias e atribuições dos órgãos da rede de proteção da criança e do adolescente.

"É muito importante que o trabalho infantil não passe invisível aos olhos dos foliões. A campanha pretende mostrar que todas as crianças têm direitos”, afirma Elisiane Santos, procuradora do Trabalho no MPT-SP e responsável pela iniciativa. “No Carnaval, elas não deveriam estar trabalhando, e sim se divertindo, brincando, com direito a lazer, cultura, educação”. Segundo ela, esses direitos devem ser assegurandos o ano todo, não penas nessa época.

A procuradora também reforça a necessidade de os municípios manterem serviços de atendimento às violações de direitos de crianças e adolescentes. As denúncias possibilitam que os serviços sejam acionados e as crianças protegidas. “Em caso de omissão do poder público, serão adotadas providências pelo MPT", completa a procuradora.

Para o Vice Coordenador Nacional da Coordinfância (Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho da Criança e do Adolescente) Ronaldo Lira, “É de todos a responsabilidade pela proteção integral da criança e do adolescente: Estado, sociedade e família. Cada um tem que fazer a sua parte, não consumir produtos e serviços, divulgar informações, buscar orientação e denunciar a exploração do trabalho infantil”. Ele ressalta que os Conselhos Tutelares também cumprem papel fundamental na proteção das crianças em situação de violação de direitos e devem funcionar em regime de plantão durante o Carnaval.

Denúncias - Há diversos canais de denúncias para quem flagrar a exploração de trabalho infantil durante as festividades. A principal é o Disque 100 nacional, que encaminha as denúncias para os órgãos de defesa e proteção (MPT, Conselhos Tutelares, Delegacias Especializadas). Também é possível denunciar no site do MPT (www.mpt.mp.br) ou através do aplicativo MPT Pardal, gratuito e disponível para Android e IOS. É importante que as denúncias contenham o máximo de informações.

Dicas ajudam a prevenir furtos e brigas. Telefone do SOS Criança estará disponível em todos os dias de folia

Com a expectativa de cerca de 2 milhões de pessoas nas ruas de Brasília no carnaval de 2018, as forças de segurança alertam para cuidados que os foliões precisam ter para garantir uma festa mais tranquila.

Para evitar furtos de objetos de valor, como joias e celulares, a recomendação é evitar carregá-los para as festas. Caso seja fundamental, não deixar nada visível e com acesso fácil a terceiros.

De preferência, esses objetos devem ser guardados nos bolsos da frente ou nos das laterais da roupa com algum tipo de fechamento, como botões e zíper. Se quiser levar bolsa, o conselho é manter à frente do corpo, fechada e sempre à vista.

Também é recomendado calcular quanto vai ser gasto e levar o dinheiro trocado, que deve ser sacado durante o dia. Caixas eletrônicos são visados por assaltantes quando está escuro.

Mesmo que o folião prefira não levar nada para a festa, é preciso ter algum documento de identidade. A Polícia Civil alerta que a identificação é primordial para o caso de feridas ou confusões.

A Defesa Civil também orienta os foliões a tomar cuidado quando o corpo estiver molhado. É preciso redobrar a atenção com instalações elétricas, geradores de energia e estruturas metálicas ,que podem estar energizadas. Nessas ocasiões, subir em trios elétricos também é perigoso.

Andar em grupo pode prevenir brigas - Para evitar brigas, o ideal é andar em grupo. Caso haja uma confusão próxima, a orientação é que a pessoa se afaste. Se for provocada, o melhor é não responder e chamar um policial militar.

Além disso, a Polícia Militar dá a dica de pedir licença e agradecer na hora de se movimentar na multidão para evitar que confrontos ocorram. Outra sugestão para evitar confusões é beber com moderação, porque o álcool influencia no estado do folião.

Identificação ajuda a encontrar crianças perdidas - Uma orientação fundamental para os pais que forem pular a folia com crianças é identificar os menores. Para isso, a Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude distribuirá 40 mil pulseiras de identificação nas festas.

Os responsáveis também podem imprimir carteirinhas pelo site da pasta.

Há ainda o canal SOS Criança DF, que ficará disponível 24 horas por dia da sexta (9) até a terça-feira (13) de carnaval. O contato pode ser feito por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp, pelo número (61) 99212-7776.

A pessoa que encontrar uma criança perdida só precisa se identificar e mandar a localização com pontos de referências pelo canal. Se o menor tiver identificação, com nome dele e dos pais ou responsáveis e o número de telefone será ainda mais fácil de ser devolvida.

Caso uma criança seja perdida, a orientação é procurar um policial, um bombeiro, um agente de trânsito ou alguém uniformizado da segurança da festa.

O que fazer se você se ferir durante a festa de carnaval - Se alguém for atacado ou se ferir, a Polícia Civil recomenda se afastar imediatamente do local e dirigir-se à unidade de saúde mais próxima.

A Secretaria de Saúde recomenda procurar emergências das unidades de pronto-atendimento (UPAs) e de prontos-socorros, que funcionarão normalmente do sábado (10) até a terça-feira (13) de carnaval. As unidades básicas de saúde e os ambulatórios dos hospitais públicos não abrem em feriados e fins de semana. Na quarta-feira de cinzas (14), as unidades e os ambulatórios abrirão às 14 horas.

Em casos de emergência, a orientação é ligar para o telefone 192, do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ou 193, do Corpo de Bombeiros Militar do DF.

Fonte: Vinícius Brandão, da Agência Brasília
Fotos: Andre Borges

Na primeira chamada de 2018 da UnB, foram aprovados 925 estudantes que participaram do programa do governo de Brasília no ano passado

Os nove aulões preparatórios do #BoraVencer ao longo de 2017 refletiram positivamente no desempenho de alunos que pleitearam vagas em universidades públicas do Distrito Federal.

A primeira chamada dessas instituições contemplou 1.073 estudantes que participaram do programa do governo de Brasília no ano passado.

Na Universidade de Brasília (UnB), foram 925 aprovados — 769 pelo Programa de Avaliação Seriada (PAS) e 156 pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu). No Instituto Federal de Brasília (IFB), 128, e na Escola Superior de Ciências da Saúde, 20.

Em 2017, o #BoraVencer contribuiu para o ingresso de 759 jovens em universidades públicas locais.

Para Aurélio Araújo, titular da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, pasta que coordena o programa, os números representam apenas uma pequena porcentagem.

“Não temos os dados dos aprovados em universidades estaduais ou privadas, mas já tivemos casos de alunos que foram estudar em faculdades públicas fora de Brasília”, explica o secretário.

O projeto ofereceu preparação gratuita para o Programa de Avaliação Seriada (PAS) e para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
Ao todo, foram 25.347 estudantes contemplados — 10 mil apenas no aulão de dicas, em outubro.

#BoraVencer nasceu de demanda da juventude do DF - O programa foi criado para atender à demanda eleita na Conferência Distrital de Juventude de 2015, que pedia oportunidades de estudo para o vestibular e o Enem.

Com aulas gratuitas e professores voluntários, os conhecimentos são repassados divididos por temas:

  • matemática
  • ciências da natureza (física, química e biologia)
  • ciências humanas (filosofia, sociologia, história e geografia)
  • linguagens, códigos e redação (línguas portuguesa, inglesa e espanhola e redação)

Fonte: Cibele Moreira, da Agência Brasília

A Lei 6086/2018, publicada no Diário Oficial do Distrito Federal na sexta-feira, 2, torna obrigatória a notificação por parte de hospitais – públicos e particulares – e demais serviços de saúde, como o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), ao Conselho Tutelar da região e ao Ministério Público Federal sobre atendimentos feitos à crianças e adolescentes sob uso de álcool ou outros entorpecentes.

A notificação deve ser encaminhada até cinco dias úteis, a contar do atendimento. Ela deve trazer todas as informações relacionadas ao estado de saúde da criança ou adolescente atendido, nome completo, filiação, endereço e, se possível, o tipo de álcool ou entorpecente utilizado.
A partir da notificação o Conselho Tutelar promoverá os atendimentos socioeducacionais necessários para manter a proteção integral da criança ou adolescente.

A Ação Coletiva para a Campanha de Proteção de Crianças e Adolescentes na Olimpíada de 2016 no Distrito Federal, liderada pela Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude (Secriança), foi colocada como exemplo de atuação na publicação “Metodologia de Proteção Integral dos Direitos de Crianças e Adolescentes em Eventos e Festas Populares”, produzido pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP).

A grande articulação da Secriança, com diversos atores envolvidos na campanha, foi o principal ponto abordado no relatório. A sensibilização e capacitação de Conselheiros Tutelares, servidores e voluntários que estiveram presente ao redor do estádio nos dias de jogos para sensibilizar a população sobre a campanha também foi destaque.

WhatsApp 61 99212-7776 ficará disponível durante sexta e terça-feira de folia

Pelo segundo ano consecutivo, o carnaval de Brasília contará com um serviço de emergências voltado para casos de crianças perdidas, abandonadas ou que estejam sob algum tipo de situação de risco. O canal SOS Criança DF ficará disponível à população, 24 horas por dia, entre sexta e terça-feira de carnaval, por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp, pelo número 61 99212-7776.

Na prática, quem encontrar alguma criança nessas condições deverá acionar o serviço de maneira bem simples. Bastará enviar uma mensagem de texto, foto, vídeo ou áudio para o telefone, identificando-se. Também deverá informar a localização exata, com pontos de referências, e tentar saber com o pequeno o seu nome e o nome ou telefone dos pais.

O profissional da Central Integrada de Atendimento e Despacho (Ciade) – a mesma que recebe as ligações do 190 e do 193 – receberá as informações e dará o encaminhamento mais apropriado. “Os pais poderão ser orientados a ir a uma delegacia de Polícia mais próxima. O atendente poderá ainda orientar a pessoa a ir até uma viatura da Polícia Militar perto do local indicado. Também conseguiremos acionar, de imediato, a Vara da Infância e da Juventude ou o Conselho Tutelar, em casos de exploração infantil, venda de bebidas alcóolicas, entre outras situações”, explica o subsecretário de Operações Integradas da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, coronel Leonardo Sant’Anna.

A iniciativa da SSP/DF tem o objetivo de tornar a comunicação mais rápida com os órgãos de segurança pública e outras instituições de assistência e proteção às crianças e adolescentes. O aplicativo também ajudará a desafogar o sistema de emergências do 190. “O SOS Criança DF nos ajudará a concentrar as chamadas de urgência mais para ocorrências policiais envolvendo as festas. Com isso, teremos com essa ferramenta um trabalho integrado e mais direcionado para o cuidado com os pequenos”, acrescenta o subsecretário.

A ferramenta, embora esteja sendo direcionada ao Carnaval, continuará a ser utilizada pela Secretaria para outros tipos de eventos ao longo do ano em Brasília, como festas e manifestações populares. 

Orientações - Boa parte do público que passa pelos blocos de rua e festas particulares é formada por crianças e adolescentes. O cuidado dos responsáveis por eles deve ser redobrado. Por isso, a SSP/DF recomenda que sempre conversem com os filhos antes de sair de casa. Em caso de se perder, para que procure um policial, bombeiro, agente de trânsito ou alguém uniformizado da segurança do evento. 

Outra dica é ajudá-lo a memorizar o telefone de algum familiar e nunca a aceitar bebidas ou comidas de estranhos. Além disso, uma medida importante é colocar um crachá ou pulseira de identificação na criança para o caso de algum imprevisto.


São 4 mil vagas distribuídas em seis cidades do DF

O Programa #BoraVencer Profissionalizante abre inscrições para as atividades de 2018 na segunda-feira, 29, a partir das 14h, no site da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude (Secriança). As inscrições ficam abertas até o dia 9 de fevereiro.

São 4 mil vagas para treze cursos: Organizador de eventos, Assistente Administrativo, Garçom-Barman-Barista, Atendente de consultório médico e dentário, Web designer, Robótica, Montagem e manutenção de equipamentos de informática, Operador de redes de teleprocessamento, Maquiagem e designer de sobrancelha, Aplicativos móveis para Android, Auxiliar de contabilidade, Artesanato e bijóias e Mecânica de automóveis. As aulas começam no dia 26 de fevereiro e acontecerão na Asa Sul, Ceilândia, Estrutural, Samambaia, Santa Maria e São Sebastião nos três turnos.

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

“A linha profissionalizante do #BoraVencer foi um sucesso ao longo de 2017, com vários jovens conseguindo colocação profissional no mercado e, por isso, voltamos com os cursos, atendendo ao que os jovens querem estudar e se profissionalizar”, afirma o Secretário titular da Secriança, Aurélio Araújo.
De acordo com a Subsecretária da Juventude, Priscila Monteiro, no ato da inscrição, os jovens poderão escolher duas opções de cursos. “Se não tiver vaga na primeira escolha ele fica, automaticamente, com a vaga da segunda”, explica.

No caso de uma demanda maior que o número de vagas, o preenchimento das matrículas vai atender os seguintes critérios preferenciais:
- Menor renda per capita familiar
- Estar desempregado
- Ser egresso ou estar em atendimento no Sistema Socioeducativo
- Ordem de inscrição

Entre 2016 e 2017, cerca de 4 mil jovens foram capacitados nos cursos do #BoraVencer Profissionalizante.

Objetivo é enfrentar abuso e violação de direitos no período de festas. A partir de sábado (27), serão distribuídos material educativo e pulseiras de identificação nos blocos de rua

Com a chegada dos festejos do carnaval de Brasília em 2018, a atenção a crianças e adolescentes que queiram brincar na folia deve ser redobrada. Neste ano, a previsão é que mais de 2 milhões de pessoas passem por cerca de 200 eventos carnavalescos no DF.

Nesse ambiente, os riscos são agravados, informa Aurélio Araújo, secretário de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude. “Grandes aglomerações favorecem o desaparecimento de crianças e violação de direitos, como exploração de trabalho infantil e abusos”, explica.

Para fortalecer a segurança dos pequenos foliões, a secretaria lança, neste sábado (27), a campanha Direito de ser criança, direito de brincar o carnaval. O objetivo é conscientizar a população sobre o tema, por meio de material educativo como leques, adesivos e cartazes.

A equipe mobilizada pela pasta estará no bloco infantil de pré-carnaval Suvaquinho da Asa, no gramado da Funarte.

Parte do programa Criança Candanga, a iniciativa é uma forma de fortalecer a construção de uma cultura em que a população tenha consciência do papel no combate à exploração e ao abuso infantil em qualquer ambiente.

“Proteger crianças e adolescentes é responsabilidade de todos. Precisamos da atenção dos foliões para que tenhamos um carnaval seguro e saudável”, reforça o secretário.

De acordo com ele, entre as principais violações está o abuso de álcool e de outras drogas, o trabalho infantil e a exploração sexual, que vitima principalmente meninas.

“Temos que estar alertas para situações em que essas adolescentes estejam vulneráveis e para combater qualquer tipo de abuso – físico ou psicológico – que possa ocorrer na multidão”, defende Araújo.

A campanha integra os demais órgãos de governo que atuam em festividades, como as forças de segurança, a Agência de Fiscalização (Agefis), os Conselhos Tutelares, a Vara da Infância e da Juventude, organizadores de blocos de carnaval e membros da sociedade civil.

Identificação de crianças é fundamental - Para evitar sustos e agilizar o reencontro entre possíveis crianças desaparecidos na multidão e as famílias, a secretaria distribuirá 40 mil pulseiras de identificação durante as comemorações. A pasta também disponibilizará carteirinhas para impressão no site.

Nome completo e telefone dos responsáveis são dados suficientes para que quem se depare com alguma criança perdida possa ajudar. “Qualquer etiqueta, pulseira ou crachá feito com qualquer material, em casa mesmo, já funciona. O importante é que todas as crianças estejam identificadas”, recomenda o titular da pasta.

Ele também indica que os pais e responsáveis conversem com os pequenos sobre a identificação e que deem outras orientações, como não aceitar coisas de estranhos e ficar sempre por perto dos responsáveis.

“É importante entendermos a criança como sujeito de direito e que pode, dentro dos limites etários, compreender o porquê da preocupação”, acrescenta.
Além das pulseiras, serão distribuídos 4 mil leques e 6 mil adesivos com o tema da campanha aos foliões. Mil e quinhentos cartazes sobre a conscientização serão colados em ônibus, metrôs, postos de saúde, órgãos de governo e outros locais com alta circulação de pessoas.

O material será disponibilizado pela Secretaria de Cultura aos blocos que quiserem aderir. De acordo com a pasta de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, a quantidade pode aumentar de acordo com a demanda.

Disque 100 para denunciar violações de direitos de crianças e adolescentes - Quem presenciar qualquer situação de violação de crianças e adolescentes, deve reportar a ocorrência a um agente público, que tomará as providências. Denúncias que demandem soluções menos imediatas podem ser feitas pelo Disque 100.

Fonte: Gabriela Moll, da Agência Brasília
Fotos: André Borges/Agência Brasília

Faltando pouco menos de um mês para o Carnaval a Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude (Secriança) já está pensando na proteção de crianças e adolescentes durante os dias de festa. Na quinta-feira, 18, a Secriança reuniu a rede de proteção para debater as ações de prevenção à violação de direitos durante a folia. Trabalho infantil, uso de bebidas alcoólicas, exploração e abuso sexual e desaparecimento de crianças são as principais preocupações para o período carnavalesco. A campanha desse ano terá o mote “Direito de ser criança, direito de brincar o carnaval” e é mais uma ação dentro do contexto do Programa Criança Candanga.

Como em 2017, a Secriança produzirá material informativo com dicas para pais, crianças e adolescentes evitarem as violações. A Secretaria distribuirá o material para os blocos carnavalescos, órgãos do Governo do Distrito Federal, empresas de transporte público e os Conselheiros Tutelares estarão, em parceria com as forças de segurança, atuando durante os dias de festa para evitar qualquer tipo de ocorrência que envolva crianças e adolescentes.

Segundo o Secretário Aurélio Araújo, o Carnaval é um período que requer muita atenção, principalmente em relação à exploração do trabalho infantil, a exploração sexual e o abuso de álcool e drogas. “Acreditamos que estas campanhas trazem uma dose de informação muito importante, não só para crianças, adolescentes e seus pais, mas para toda a comunidade, que também é responsável pelo cuidado com nossas crianças e adolescentes e acabam evitando violações”, diz.

Como em 2017, a campanha de Carnaval da Secriança será lançada no bloco infantil Suvaquinho da Asa, no sábado, 27 de janeiro, quinze dias antes do carnaval.

Representantes do Sistema Socioeducativo do estado do ceará vieram a Brasília para conhecer o funcionamento do sistema no Distrito Federal. Em processo de reformulação após crises nos últimos anos, o Sistema cearense veio conhecer as instalações de unidades e órgãos como o Núcleo de Atendimento Integrado (NAI), a Diretoria de Serviço de Segurança, Transporte e Acompanhamento Externo (Disstae) e a Central de Vagas. O trabalho de inteligência do socioeducativo do DF também foi tema de apresentação para os visitantes.

A unidade de Santa Maria foi a escolhida para a visita, por integrar o trabalho com meninos e meninas. Os cearenses também passaram pelo NAI e pela Unidade de Inteligência, onde foram recepcionados pelo Secretário Aurélio Araújo. “O DF está de portas abertas para mostrar seu trabalho e também para aprender com as experiências de outros estados. Acredito que precisamos, como estado de vanguarda, fazer algo não só local, mas também nacional”, diz Araújo.

O Secretário-chefe da Vice-governadoria do estado do Ceará, Fernando Oliveira, agradeceu a recepção e disse que o DF tem muito a contribuir no trabalho desenvolvido no estado. “Queremos aproveitar essa expertise para adequarmos algumas situações que vivemos hoje lá e que Brasília já venceu”, disse.

Atividades esportivas, culturais, pedagógicas e preventivas evitam situações de risco em unidades de internação e semiliberdade

Com o período de final de ano cheio de recessos, festividades e recesso escolar, a Subsecretaria do Sistema Socioeducativo (Subsis) programou uma série de atividades para manter os adolescentes em internação e semiliberdade em atividade, de forma a cultivar uma política de segurança e pró-atividade.

Nas unidades de Semiliberdade foram desenvolvidas atividades celebrativas de fim de ano envolvendo os adolescentes e seus familiares, além dos servidores. Nas datas festivas, todos os adolescentes foram liberados para estar com as famílias, o que fortalece os laços familiares, importantes na socioeducação. Nos demais dias, o acompanhamento dos servidores da Secriança se deu com ligações e visitas diárias aos locais de trabalho, estudo e moradia dos jovens.

Na internação, as atividades envolveram a celebração do fim de ano letivo, em parceria com as escolas, além das festividades de Natal e ano novo. Com o recesso escolar e das atividades curriculares, o esporte entrou em cena para manter todo mundo em atividade.

De forma preventiva, desde o dia 15 de dezembro de 2017, foram realizadas uma séria de revistas minuciosas nos módulos para evitar qualquer tipo de ação de risco entre os adolescentes. Rondas, diurnas e noturnas, além das presenças constantes de gerentes de segurança e direção também marcaram o período. Uma carta, com planejamento de fuga, foi apreendida em uma destas revistas, evitando que a ação ocorresse.

Segundo o Subsecretário Paulo Távora, este tipo de planejamento de ações previne situações de risco nas unidades, garantindo o trabalho de ressocialização dos jovens. “Não tivemos nenhuma ocorrência grave no sistema e mantivemos todo o atendimento, dentro do que estabelece nossos Planos Decenal e Político Pedagógico, além do Sinase, com atividades culturais, esportivas e pedagógicas”, afirma.

A Unidade de Internação de Santa Maria iniciou na quinta-feira, 21, as atividades do projeto Quebrada em Cena, parceria com FUNAP, DEPEN e Secretaria de Cultura. Na abertura dos trabalhos, os adolescentes puderam conhecer os cursos que serão oferecidos e assistira ao filme Voz da Rua.

A partir da primeira semana de janeiro, o projeto oferecerá cinco cursos profissionalizantes para 50 adolescentes da Unidade de Internação de Santa Maria. Os meninos e as meninas participantes serão certificados.

Voltados para a área de audiovisual, fotografia e o mercado de produção de vídeos, os cursos de Edição de vídeo, Web TV, Filmagem e Fotografia, Produção Musical e Renda pela Internet terão duração de 25 dias e acontecerão nas férias escolares.

Página 1 de 47

Banner - Biblioteca
VOCÊ ESTÁ AQUI: Início Notícias Ascom Criança