gototop
FacebookTwitter

Ascom Criança

A Comissão do Concurso de Remanejamento da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude divulga , o calendário e os locais para a fase presencial do certame.
O local para apresentação dos servidores será na sala de reunião do 3º andar do edifício sede da Secretaria da Criança,nos turnos matutino (8h às 12h) e vespertino (14h às 18h).
DOCUMENTOS: O Modelo de Procuração podem ser acessado aqui. Para a procuração não é preciso ter firma reconhecida em cartório.
A Comissão preparou um  cronograma detalhado de todo o processo presencial.
Dúvidas sobre o processo podem ser esclarecidas pelo telefone 3213-0711, pelo e-mail Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. e no site do Remanejamento.

A Unidade de Internação Provisória de São Sebastião, promoveu na manhã desta quinta-feira, 22 a Finalização do Protocolo de Atenção à Prevenção a Depressão e ao Suicídio, a oficina aconteceu no Jardim Botânico – Espaço Biblioteca da Natureza e contou com a participação do psicólogo João Batista de Souza e da Dr. Vera Lúcia e servidores da Unidade assim como a equipe da Disam(Diretoria de Saúde Mental) .

Sessenta e sete jovens que integram o Sistema Socioeducativo do Distrito Federal, mantido pela Secretaria de Politicas para Crianças Adolescentes e Juventude, participaram na quinta feira 15 e Sexta-feira, 16 de junho, de visita à Feira de Ciência e Tecnologia Campus Party Brasília, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães.

O Serviço em parceira com a Secretaria de Trabalho tem como objetivo inserção, reinserção e permanência no sistema educacional, bem como o fortalecimento dos vínculos comunitários, a construção da cidadania, ampliação do seu universo informacional, cultural e de pertencimento com vistas à conquista de interlocução política e social na perspectiva do protagonismo destes jovens em busca de maior interesse nas novas tendências Tecnológicas e novos horizontes profissionais.
A atividade faz parte das ações socioeducativas previstas na politica da Subsecretaria do Sistema Socioeducativo do Distrito Federal que busca inserir os jovens em atividades das quais historicamente eles passaram às margens sem ter acesso ou conhecimento .
O Subsecretário do Sistema Socioeducativo, Paulo Henrique Távora, ressalta a importância da visita à Feira, como integração dos jovens no serviço, contribuindo para o desenvolvimento e formação dos mesmos.

A Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude (Secriança) realiza, entre os dias 24 de junho e 02 de julho, a Semana do Bebê 2017. O evento busca promover a mobilização e o debate pelos direitos das crianças na primeira infância, gestantes e mães. Concentrado no tema do desenvolvimento infantil, o evento conta com diversas atividades que debaterão os cuidados com o desenvolvimento integral do bebê durante seus primeiros anos de vida.
Este é o segundo ano em que a Secriança realiza a Semana do Bebê, iniciativa nacionalmente apoiada pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), que acontece em diversos municípios do país há mais de dez anos com a intenção de incentivar a reflexão e avaliação das condições sociais, educacionais e de saúde que o Estado oferece as crianças e, com isso, melhorar os serviços oferecidos. No Distrito Federal, a Semana do Bebê integra as ações do Programa Criança Candanga.
A solenidade de abertura da Semana do Bebê acontece no dia 24, a partir das 9h, no Parque da Cidade, com mamaço, contação de histórias e práticas integrativas. As atividades serão realizadas ao lado da Administração do Parque.

Segunda semana do bebe produção

 CONFIRA A PROGRAMAÇÃO


“Ano passado trouxemos essa temática dentro das comemorações do mês da criança, mas para este ano queremos ainda mais destaque aos direitos da Primeira Infância, por isso fazemos agora, em junho, quando trataremos apenas desse tema”, diz o secretário da Criança, Aurélio Araújo. Segundo ele, é necessário debater, sensibilizar e falar sobre os direitos desta fase da vida para que a comunidade se atente para tão importante causa.
O evento é organizado pela Secriança e pelo Comitê Distrital da Primeira Infância, em parceria com a rede de defesa dos direitos de crianças e adolescentes, formada por secretarias de Estado, como a de Educação que tem calendario de atividades nas Escolas Publicas e conveniadas(Programação aqui), além do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente (CDCA/DF), o poder Judiciário, o Ministério Público e organizações da sociedade civil.
Segundo a subsecretária de Políticas para Crianças e Adolescentes, Perla Ribeiro, a Semana do Bebê é um importante instrumento de sensibilização e formação para os direitos da primeira infância, fase primordial para o desenvolvimento pleno e saudável da criança.
Primeira Infância – A Primeira Infância é o período compreendido entre a gestação e os 6 anos de idade. Até o sexto ano de vida a criança desenvolve grande parte do potencial cognitivo, assim, nessa fase, meninas e meninos necessitam de atenção integral que garantam seus direitos a sobreviver, se desenvolver, aprender, brincar, conviver com sua família e comunidade, crescer sem violência e protegida de doenças.
Segue abaixo a programação completa.

23/06 - Audiência Pública: Projeto de Lei sobre o Marco Legal da Primeira Infância no DF
Horário: 10h
Local: Câmara Legislativa do DF

Dia 24/06 – Atividade de Abertura no Parque da Cidade
Atividade de mobilização pelos direitos das crianças na primeira infância com mamaço, contação de histórias e práticas integrativas para toda a comunidade do DF. A organização é da Secretaria da Criança e do Comitê Distrital pela Primeira Infância.
Horário: 9h
Local: Ao lado da Administração do Parque da Cidade (estacionamento 13)

Grupo 1/ tenda:

9h Yoga para crianças com Marcelle Lago
10h Lanche
10h20 Contação de história com Sandra Salim: A história " A lagarta comilona"

11h: Abertura Oficial  da  2º Semana do Bebê 
11h 20 Brincadeira cantada com Patricia Ramiro

Grupo 2 / arvores:
Shantala/Toques com profissionais da Casa de Ismael
Roda de amamentação e mamaço com a Associação de Doulas do DF
Oficina de sling - Izaura Pimentel, da BabyGrude (Uma oficina para mamães e papais ficarem por dentro de como usar cangas e lençóis e outros tecidos como carregadores de bebês - slings e os seus benefícios. Afinal carregar bebê é tão gostoso quanto um abraço em quem amamos. Vamos slingar?

Pinturas de rosto e brincadeiras com o grupo "Laços da Alegria" (atividade contínua) - posto na mesinha fixa

Leve um lanche para compartilhar e uma canga para o desenvolvimento das atividades!

Dia 26/06 - Roda de Conversa sobre "Desenvolvimento Infantil" e lançamento do livro Desenvolvimento Humano e Educação - Contribuições para a Educação Infantil e o Primeiro Ano do Ensino Fundamental. Organizadoras: Silviane Barbato e Maria Fernanda Farah Cavaton
Atividade desenvolvida pelo Fórum de Educação Infantil do DF e Faculdade de Educação/ UnB para toda comunidade do DF.
Horário: 17h30 às 19h 30
Local: Sala Papirus- Faculdade de Educação/ Universidade de Brasília

Dia 27/06 – Oficina Ato de Tocar em Família
Oficina de Shantala desenvolvida pela Instituição Casa de Ismael para a comunidade, mães e bebês.
Horário: 15h
Local: Auditório da Casa de Ismael, instituição localizada na 913 norte - Asa Norte - Brasília - DF.

Dia 28/06 – Atividade de Formação sobre Desenvolvimento Infantil
Atividade desenvolvida pela Secretaria de Educação para os profissionais da rede de atendimento.
Horário: 8h às 18h
Local: As atividades serão organizadas em todas as Regionais de Ensino do DF. Verifique no site da Secriança o local mais próximo da sua residência.

Dia 28/06 – Oficina de Shantala
Atividade desenvolvida pela CIJ/Vara da Infância e Juventude do DF para cuidadoras das Casas de Acolhimento Institucional.
Horário: 14h30 às 16h30
Local: Lar Bezerra de Menezes - QNN 05 - conjunto M - casa 16 - Ceilândia Norte/DF

30/06 – Oficina Crescer sem Violência
Oficina sobre Enfrentamento a Violência Sexual contra crianças desenvolvida pelo Canal Futura para os profissionais da rede de atendimento (inscrição prévia)?
Horário: 8h às 17h
Local: EGOV

Dia 01/07

Cine Debate
Promovido pelo Programa Prioridade Absoluta, do Instituto Alana.
Exibição do filme o Começo da Vida, filme de Estela Renner, seguido de debate sobre parentalidade e infância.
Horário: 10:30h
Local: Teatro do CCBB

Exibição do filme Terreiros do brincar, filme de Renata Meirelles e David Reeks, seguido de debate sobre o brincar coletivo em manifestações culturais populares.
Horário: 14h
Local: Cinema do CCBB

Roda de Amamentação promovido pelo Instituto Ashtar. Serão tratados temas como apojadura, colostro, mastite, leite gordo x leite fraco, pega correta, mamilo invertido, concha, chupeta, mamadeira, bomba elétrica/manual, e muitos outros termos relacionados à Amamentação.  

Hora: 10h às 12h

Local: Parque Olhos Dágua (quiosque perto da Administração do Parque).
Caso o quiosque esteja ocupado iremos nos reunir no gramado.Contaremos com a presença de Lívia Minatel que é enfermeira, sócia proprietária da Livre Maternagem, pós-graduada em Acupuntura Sistêmica e, atualmente, cursa especialização em Aleitamento Materno.

Leve suas dúvidas para serem abordadas e compreenda por quê amamentar deve ser um processo natural. Afinal, somos mamíferos!

Se você tem um relato bacana sobre a amamentação, com seus desafios e conquistas, você pode compartilhar conosco!

Traga sua canga ou tapetinho e um lanche para compartilharmos, se possível!

Não esqueça sua garrafinha de água!

Dia: 02/07 - Roda de meditação de leituras para bebês, musicalização estações sensórias.

Promovido pelo Grupo Histórias no Parque
Horário: 9:30h às 12h
Local: Parcão EQS 104/105

Jardins da Infância: Contação de histórias e oficinas de brincadeiras tradicionais, futebol, compostagem e alimentação saudável
Para os adultos, rodas de conversa sobre Parto, Maternagem, Paternidade, Crianças com alergia alimentar, Amamentação, Desenvolvimento Infantil, Convivência Familiar, Educação Inclusiva, Direito à cidade e Gênero e Diversidade.
Horário: 14h às 19h
Local: Gramado do CCBB

A Diretoria da Unidade de Internação de Santa Maria realizou na terça-feira, 13, o 1º Encontro da Rede de Proteção Social de Santa Maria, para debater assuntos acerca do atendimento socioeducativo na cidade.

Participaram representantes do Núcleo de Ensino da Unidade, as gerências, Coordenação de Internação e Semiliberdade, Diretoria de Internação, além de uma série de parceiros de outras entidades do governo, organizações não-governamentais e instituições ligadas à área como: Cras, Creas, Caps, Uama, Conselho Tutelar, Pesquisadores da área de socioeducação da Universidade Católica, Coordenação Regional de Ensino de Santa Maria, Coordenação de Direitos Humanos da Secretaria de Educação, Administração Regional, Inesc, PPCAAM, Adolescentro e Instituto Pró Mediação.

De acordo com a diretoria da Unidade, articulações em rede fortalecem a integração social dos socioeducandos nas Unidades de internação. A atividade ainda busca ampliar discussões interdisciplinares, ações pautadas em debates temáticos e capacitação profissional com o objetivo de fortalecer a cidadania, a autonomia e o protagonismo. Tais ações ainda contribuem para a redução da reincidência por meio de iniciativas que atuem de forma a consolidar as áreas setoriais da política pública numa proposta intersetorial e convergente com as necessidades do socioeducativo.

Durante o mês de junho, a rede de proteção à crianças e adolescentes do Distrito Federal promoverá campanhas relacionadas ao combate ao trabalho infantil, fazendo referência ao Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil, que é lembrado no dia 12 de junho.

O cronograma das ações oferece à comunidade palestras, oficinas e informativos, visando um melhor entendimento e conscientização da população sobre a exploração à criança e ao adolescente no DF. As atividades acontecerão ao longo do mês de junho, promovidas pelos Conselhos Tutelares, CRAS, CREAS e ONGs em diversas regiões do DF.

No Dia Mundial e Nacional contra o Trabalho Infantil, 12/06, será lançada, no Museu Nacional em Brasília, a campanha 100 Milhões por 100 Milhões. A campanha é uma iniciativa global do Nobel da Paz, Kailash Satyarthi, coordenada no Brasil pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação, com parceria temática do Fórum Nacional de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FNPETI) e aderida pela Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude (Secriança). A iniciativa foi lançada globalmente no “Laureates and Leaders for Children Summit 2016”, em Nova Delhi, na Índia, em dezembro de 2016, com a presença de líderes de todo mundo.

“O objetivo da nova campanha, idealizada por Kailash, é mobilizar 100 milhões de pessoas, estimulando especialmente os jovens, para lutar pelos direitos de 100 milhões de crianças que vivem na extrema pobreza, sem acesso à saúde, educação e alimentação, em situação de trabalho infantil e completa insegurança. Será um grande chamamento intersetorial, com forte participação da juventude, envolvendo representantes de diferentes setores unidos para combater todas essas formas de exploração. A vinda do Nobel ao Brasil para o lançamento é um marco global e representa apenas o começo de uma mobilização muito grande nacional“, afirmou Daniel Cara, que participou do evento de lançamento na Índia e será o coordenador da campanha e a Campanha Nacional pelo Direito à Educação será a organização que liderará essa mobilização.

Kailash Satyarthi virá ao Brasil especialmente para o lançamento da iniciativa que envolverá no país e no mundo diversas organizações e pessoas que atuam pelos direitos das crianças, de forma transversal e em intersetorialidade (saúde, assistência social, educação), no combate à pobreza, vulnerabilidade social, e trabalho infantil. A participação ativa da juventude será a grande marca da iniciativa no Brasil, com a adolescentes e jovens envolvidos não só na mobilização, mas também no desenvolvimento das estratégias de coordenação e mobilização em todo o Brasil.

A agenda de lançamento da iniciativa também contará com audiências públicas na Câmara dos Deputados, no Senado Federal, Exposição Fotográfica do Ministério Público do Trabalho intitulada #ChegaDeTrabalhoInfantil e uma roda de conversa com a participação do Nobel da Paz com estudantes e comunidade escolar. A vinda de Kailash marcará o início de uma estratégia de mobilização nacional de longo prazo. Todas as informações de como se envolver e participar estarão em breve disponíveis em: 100milhoes.org.br

Cenário do trabalho infantil e da exploração de crianças e adolescentes no Brasil:

● O trabalho infantil é proibido no Brasil pela Constituição Federal de 1988. Ainda assim, 2,7 milhões de crianças e adolescentes brasileiros estão em situação de trabalho, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2015. O número equivale a toda a população da Jamaica e representa 5% do total de brasileiros de 5 a 17 anos. Em 2014, eram 3,3 milhões.

● A tendência de queda nos índices de trabalho infantil está em risco devido ao crescimento entre a população de 5 a 9 anos por três anos seguidos e na agricultura.

● Em 2015, foram registrados 79 mil casos entre crianças de 5 a 9 anos, 12,3% a mais que em 2014, quando havia 70 mil crianças nesta faixa trabalhando. Em 2013, eram 61 mil. O aumento é inaceitável e preocupante, na avaliação do FNPETI.

● A Pnad registrou também elevação do percentual de crianças de 5 a 13 anos ocupadas em atividades agrícolas, de 62% para 64,7% entre 2014 e 2015.

● Caso a redução se mantenha no ritmo atual, o Brasil não conseguirá cumprir a meta dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU de eliminar todas as formas de trabalho infantil até 2025.

● O Brasil também não foi capaz de cumprir a meta de eliminar as piores formas de trabalho infantil em 2016, compromisso firmado com a Organização Internacional do Trabalho (OIT) em 2006 e reforçado na Conferência de Haia, em 2010.

● A exploração sexual é considerada uma das piores formas de trabalho infantil. Por ocorrer de maneira ilícita, tem pouca visibilidade e torna-se difícil de ser quantificada. Trata-se de crime hediondo, com pena de 4 a 10 anos de prisão, a ser cumprida em regime fechado e sem fiança. A maioria das vítimas são meninas.

● O trabalho infantil doméstico também é uma das piores formas. Mais de 90% das exploradas são meninas e cumprem dupla jornada. 83,1% também realizam afazeres domésticos nas próprias casas. O baixo rendimento escolar, o abandono dos estudos, adoecimentos e acidentes de trabalho são algumas das consequências desse excesso de atividades.

● Todas as piores formas de trabalho infantil estão explicitadas no Decreto 6481/2008.

● O trabalho infantil pode causar graves danos à saúde. Desde 2007, 38.257 mil crianças e adolescentes sofreram algum tipo de acidente enquanto trabalhavam. Desses, 23.100 foram graves, o que inclui amputação de mãos e braços, e 208 morreram. Os dados são do Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador do Ministério da Saúde.

● A idade mínima para o trabalho no Brasil é 16 anos. Abaixo dos 18 anos, é proibido o trabalho noturno, perigoso e degradante. A única exceção é para a aprendizagem, que pode ocorrer a partir dos 14 anos. Para ser aprendiz, o adolescente precisa frequentar a escola e ter bom rendimento.

● A garantia da educação de qualidade até os 17 anos é fundamental para erradicar o trabalho infantil e outras formas de exploração de crianças e adolescentes.

Exclusão escolar e violações ao direito à educação:

● No Brasil, 2,8 milhões de crianças e adolescentes de 4 a 17 anos estão fora da escola, segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2015.

● A exclusão escolar afeta principalmente meninos e meninas das camadas mais vulneráveis da população, já privados de outros direitos constitucionais. Do total fora da escola, 53% vivem em domicílios com renda per capita de até ½ salário mínimo.
Fonte: IBGE (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2015)

● Atualmente, o Brasil apresenta uma taxa de 19% de distorção idade-série no ensino fundamental. No ensino médio, essa taxa de distorção chega a 27%. É essa a faixa etária de transição para a idade adulta e esses adolescentes ingressam no mundo do trabalho em condições precárias.
Fonte: IBGE (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2015)

● Em razão das dificuldades econômicas, muitas crianças acabam deixando a escola para trabalhar e ajudar na renda familiar ou mesmo para cuidar dos serviços domésticos, liberando suas mães para o trabalho remunerado.
Fonte: Fora da Escola Não Pode!: Campanha Nacional pelo Direito à Educação e Unicef

● Além de tirar as crianças da escola, o trabalho afeta seu rendimento escolar, que é inferior ao das crianças que só estudam. Por isso, também são maiores entre as crianças trabalhadoras as taxas de repetência e de abandono.
Fonte: Fora da Escola Não Pode!: Campanha Nacional pelo Direito à Educação e Unicef | PISA/OCDE

● Nenhuma das metas e estratégias do Plano Nacional de Educação com prazo para 2015, 2016, e 2017 foram cumpridas. As estratégias 20.6 e 20.9, de implementação do Custo Aluno-Qualidade Inicial (CAQi) e de regulamentação do Sistema Nacional de Educação (SNE), respectivamente, não foram cumpridas até 2016, em seu prazo. A estratégia 20.8, de definição do Custo Aluno-Qualidade (CAQ) também não foi cumprida até 2017.

● Apenas 0,6% das escolas brasileiras possuem insumos de qualidade previstos no mecanismo do Custo Aluno-Qualidade Inicial (CAQi), criado pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação, ou seja, 98,4% das escolas funcionam abaixo do nível de dignidade de um padrão mínimo de qualidade.
Fonte: NETO, DE JESUS, KARINO, DE ANDRADE. Uma escala para medir a infraestrutura escolar.

● 17,6% da população com 15 anos ou mais é analfabeta funcional.
Fonte: IBGE (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2015)

Pobreza, exploração e violência contra crianças e adolescentes:

● Aproximadamente 55 milhões de pessoas vivem em situação de pobreza no Brasil, sendo que 18 milhões deste total se encontram em situação de extrema pobreza. Dentre as pessoas entre 0 e 14 anos em situação domiciliar de baixa renda, 17,3 milhões (40,2%) são pobres e 5,8 milhões (13,5%) são extremamente pobres.
Fonte: IBGE (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios 2015)

● Foram registradas 150 mil crianças de 0 a 5 anos em situação de desnutrição em 2016.
Fonte: Ministério da Saúde /Datasus/Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional (Sisvan 2016)

● No ano de 2015, mais de 56 mil mortes por homicídios foram notificadas no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) do Brasil. Pouco mais de 80% dos homicídios de crianças e jovens entre 0 e 19 anos foram cometidos com armas de fogo em 2015. A Região Nordeste concentra a maior proporção de homicídios de crianças e jovens por armas de fogo e supera a proporção nacional em 5,4 pontos percentuais.
Fonte: MS/SVS/CGIAE/ Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM)

● Em 2015, o Disque 100 recebeu mais de 153 mil denúncias de violações de direitos contra crianças e adolescentes em todo o país, sendo 45,7% por violência física ou psicológica, 37,9% delas por negligência, e 13% por violência sexual.
Fonte: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República – Balanço Geral - Disque 100 (2015)

● Em 2015, foram 546.537 nascimentos de mães entre 0 e 19 anos, sendo 26.629 deles de mães entre 10 e 14 anos e 8 de mães menores de 10 anos.
Fonte: MS/SVS/DASIS/ Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (Sinasc 2015)

Fonte: FNPETI

Terça, 06 Junho 2017

PPCAAM/DF é tema de TCC

O Programa de Proteção a Crianças e Adolescentes Ameaçados de Morte (PPCAAM) no Distrito Federal, coordenado pela Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude (Secriança) foi tema de um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da aluna Carla Dourado Silvério da Silva, formanda do curso de Serviço Social da Universidade Paulista (UNIP) e ex-estagiária da Secriança.

Carla usou o período trabalhado na Subsecretaria de Proteção da Criança e do Adolescente (Subproteca) analisar PPCAAM, demonstrando as possibilidades de aprimoramento de gestão. A pesquisa teve o objetivo de identificar a relação entre a violência letal de crianças e adolescentes do DF e a renda de suas famílias. A apresentação foi assistida por alunos, professores e convidados.

A banca de avaliação contou com a presença da subsecretária de Proteção à Criança e ao Adolescente, Veruska Alves. Segundo ela, a parceria entre governo e academia é muito importante, principalmente pela disponibilidade de estudos que auxiliam na melhoria da prestação de serviços públicos. “Alguns dados e sugestões apresentados são muito interessantes e serão analisados pela equipe do PPCAAM para aprimoramento do sistema”, afirmou.

Os Conselhos Tutelares do Distrito Federal promoverão uma série de ações, ao longo do mês de junho, em alusão ao Dia Mundial Contra o Trabalho Infantil, 12 de junho. A programação oferece à comunidade palestras, oficinas e informativos, visando melhor entendimento da população sobre a exploração à criança e ao adolescente no DF.

As ações serão promovidas por doze unidades dos conselhos tutelares em diferentes regiões: Sobradinho I, Park Way, Jardim Botânico, Fercal, Sudoeste e Octogonal, Águas Claras, Vicente Pires, Riacho Fundo I, Cruzeiro, Asa Sul, Lago Norte e Gama I e II.

Confira, abaixo, a lista com os CTs participantes, dia da ação e local das atividades:
Sobradinho I, dia 20/06/2017, Escola Classe Basevi;
Park Way, dia 12/06/2017, Núcleo Vargem Bonita e Escolas Classes da região;
Jardim Botânico, dia 08 e 09/06/2017, Escolas Classes da região;
Fercal, 12, 13, 16, 18, e 21/06/2017, Conselho Tutelar, Escolas Classes da região e Feira Cultural da Fercal;
Sudoeste e Octogonal, 12 e 13/06/2017, comércio local;
Águas Claras, 10/06/2017, Areal, Arniqueiras e Águas Claras;
Vicente Pires, 12/06/2017, Escola Classe 01 e 02, Vila São José, comércio local;
Riacho Fundo I, 12/06/2017, Conselho Tutelar, comércio local;
Cruzeiro Novo e Velho, 09/06/2017, blitz no sinal de trânsito;
Asa Sul, 12/06/2017, Escolas Classes da região;
Lago Norte, 12/06/2017, Escolas Classes da região;
Gama I e II, durante o mês de junho, Escolas Classes da região;

Governo de Brasília reconheceu reivindicação da categoria e fez alteração no então cargo de atendente. A medida valoriza os profissionais sem impacto financeiro

Os trabalhadores lotados no cargo de atendente de reintegração socioeducativa passam, agora, a ser reconhecidos como agentes socioeducativos. A mudança — sancionada pelo governador Rodrigo Rollemberg na Lei nº 5.870, de 2017 — foi publicada no Diário Oficial do DF de segunda-feira (29).

Segundo o subsecretário do Sistema Socioeducativo, da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, Paulo Távora, a adequação atende ao que já prevê o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). “O estatuto faz referência aos servidores que atuam com medidas socioeducativas com a terminologia de agentes”, explica.

Ele destaca que, na prática, os servidores já atuavam como agentes e agora recebem o reconhecimento do poder público: “Os profissionais têm maior sentimento de pertencimento ao governo, todos ganham com essa valorização”. A mudança de nomenclatura no quadro de pessoal não altera salários.

A atuação em serviço, no entanto, será beneficiada com o status, segundo Távora. Ele exemplifica que há mais facilidades, sempre previstas no estatuto. “Podem, por exemplo, pedir prioridade de atendimento para um adolescente do sistema socioeducativo no hospital quando o estiver acompanhando, por questões de segurança. A condição de agente nos traz essa permissão e maior efetividade às nossas atividades.”

Para atender à reivindicação da categoria de alteração na nomenclatura, o governo local enviou projeto de lei à Câmara Legislativa no ano passado. A proposta foi aprovada no mês passado.

“A busca pela valorização e motivação da categoria é uma prioridade para o governo de Brasília. Essa é uma vitória que se soma a outras medidas importantes tomadas, como o decreto que instituiu a carteira funcional e a consequente nomeação dos concursados”, avalia o secretário adjunto de Relações Institucionais e Sociais, da Casa Civil do DF, Igor Tokarski.

Fonte: Amanda Martimon, da Agência Brasília

A Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude (Secriança), em parceria com a Secretaria da Saúde, promoveu durante o mês de maio a campanha de vacinação contra a gripe H1N1 e Influenza. Todas as unidades de internação e semiliberdade participaram da campanha que beneficiou socioeducandos e servidores.

Ao todo foram vacinados 1.063 adolescentes, sendo 99 das unidades de semiliberdade e 964 das unidades de internação, e 1.311 servidores do sistema socioeducativo sendo, 91 das semi e 1.220 da internação.

Nas unidades de internação a aplicação das vacinas foi feita pela equipe das gerências de saúde e nas unidades de semiliberdade a aplicação das vacinas foi feita por profissionais da Secretaria de Saúde.

 

A Comissão do Concurso de Remanejamento da Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude divulga o resultado da fase preliminar  dos servidores que se inscreveram no processo seletivo de remanejamento.


Confira o resultado da fase preliminar 

 

Dúvidas sobre o processo podem ser esclarecidas no site do Remanejamento. 

Os Desafios Sobre o Enfrentamento à Violência de Crianças e Adolescentes no DF serão debatidos durante Seminário Distrital sobre o tema, na terça-feira, 30, a partir das 9h, no auditório da OAB/DF, na 516 norte. O evento é uma realização do Conselho de Direitos da Criança e do Adolescente do Distrito Federal (CDCA/DF) em parceria com a Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude (Secriança) e o Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes.

Dividido em duas mesas de debate, o seminário abordará as perspectivas no enfrentamento à violência sexual e a consolidação do atendimento a crianças vítimas de tal violência, com o caso do Centro de Atendimento 18 de Maio.

A Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude divulga a lista dos inscritos par ao aulão do #BoraVencer no domingo, dia 28 de maio. As inscrições para a aula, no entanto, estão abertas até meia-noite de sexta-feira, 26 de maio. 

O encontro, último do primeiro semestre, será realizado no dia 28 de maio, domingo, a partir das 13h, no Auditório Master do Centro de Convenções Ulysses Guimarães e terá Geografia, Literatura e História como disciplinas do dia. As aulas, gratuitas, preparam os estudantes do Distrito Federal para ingressar no ensino superior. Em 2016, foram aprovados 400 alunos do #BoraVencer em universidades públicas em cursos como Direito, Medicina e Engenharias. Só na primeira chamada do Programa de Avaliação Seriada (PAS) da Universidade de Brasília (UnB) de 2017, foram mais 145 aprovados.

CONFIRA A LISTA

Neste ano, a novidade é o preparo dos estudantes para o vestibular de meio de ano e o PAS da UnB. Para o segundo semestre o foco voltará a ser a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

TRANSPORTE GRATUITO – No dia da aula, a Secriança vai disponibilizar transporte gratuito antes e depois do encontro. O ônibus parte da plataforma inferior “A” (ao lado do Box A17) da Rodoviária do Plano Piloto em direção ao Centro de Convenções, das 11h às 14h. E faz o caminho de volta (Centro de Convenções-Rodoviária) ao final do aulão.

#BORAVENCER – Em 2016 a Secriança promoveu 9 aulões do #BoraVencer, entre abril e outubro, e um curso intensivo, entre setembro e outubro, atendendo 16 mil estudantes. Em 2017, já foram dois aulões, em abril, e uma turma do curso intensivo que está acontecendo desde o mês passado. Até agora, são cerca de 530 alunos aprovados em universidades públicas no Distrito Federal, como a UnB, Escs e IFB.

O projeto nasceu para atender à demanda eleita na Conferência Distrital de Juventude de 2015, que pedia por oportunidades de estudo para o vestibular e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A Secretaria de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude (Secriança) inaugurou, na manhã de sexta-feira, 26, a nova sede do Conselho Tutelar do Varjão. O espaço era uma reivindicação dos conselheiros da cidade, que buscavam melhores instalações para o atendimento à sociedade.

“Estamos atendendo as demandas dos Conselheiros em melhorar a infraestrutura de atendimento às famílias. Taguatinga, São Sebastião, Brazlândia, Riacho Fundo I e Fercal já foram entregues e agora concluímos o Varjão” enumera o Secretário Aurélio Araújo, titular da Secriança. Segundo ele, o Varjão é uma das cidades que tinha maior necessidade de melhoria. “Ainda temos obras em curso para Samambaia e Estrutural”, revela Araújo.

O Conselho Tutelar foi reformado e ampliado para ficar dentro dos padrões definidos pela Secretaria Nacional de Direitos Humanos: salas de atendimento individualizadas para cada conselheiro, sala de reunião e uma brinquedoteca. “É importante termos uma estrutura consistente para que os atendimentos sejam feitos de forma qualificada e com total privacidade, respeitando os direitos das crianças e adolescentes”, explica a subsecretária de Políticas de Proteção à Criança, Veruska Alves.

A nova unidade do CT do Varjão custou cerca de R$ 150 mil à Secriança. Entre as principais realizações estão a instalação de divisórias, rede elétrica e hidráulica, pintura e identificação dos espaços.

Reformas – A Secriança está com obras nas unidades de Águas Claras, Ceilândia I, Estrutural, Itapoã, Paranoá, Samambaia Sul e Gama. Entre os principais pontos de reforma, estão melhorias em infraestrutura elétrica e hidráulica, reparos em telhados e pintura.

Os conselhos tutelares são órgãos autônomos e permanentes que têm a importante missão de zelar pela garantia e a defesa dos direitos das crianças e dos adolescentes, garantindo a eles o direito à família, à escola, à saúde, a espaços de esporte, lazer e cultura, alimentação adequada, à convivência familiar e comunitária, entre outros.

Página 1 de 36

Porteja-Brasil

Banner - Biblioteca
VOCÊ ESTÁ AQUI: Início Notícias Ascom Criança